Benefícios da compartimentação


A compartimentação deve ser entendida como um conjunto de medidas construtivas que tem como principal objetivo restringir o incêndio à um dado ambiente, de modo a evitar que ele se espalhe de um compartimento para outro, seja de maneira vertical, seja de maneira horizontal. O termo faz referencia à própria edificação, ou parte dela, compreendendo um ou mais cômodos, espaços ou pavimentos.

O processo é seguro e, garantem especialistas, vantajoso, na esfera econômica. Isso porque um incêndio numa unidade industrial, por exemplo, poderia romper as barreiras de produção e ir, diretamente, para o estoque.

Com a compartimentação, esse processo seria dificultado, diminuindo as perdas potenciais e traria, inclusive, compensações financeiras, no que diz respeito a contratação de um seguro. É o que garante Antonio Fernando Berto, pesquisador e coordenador do Laboratório de Segurança ao Fogo do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), de São Paulo.

Berto afirma, ainda, que o processo de compartimentação não é, somente, um processo de isolamento de áreas, umas das outras, mas, sim, um medida para providenciar áreas e acessos alternativos, pelos quais os ocupantes do edifício possar sair, em segurança. Isso porque o processo de compartimentação significa, também, manter o incêndio em proporções controláveis, limitando o número de pessoas em risco e facilitando o combate ao fogo, dando tempo para que as pessoas encontrem um escape, frente ao fogo, e providenciando zonas de refúgio temporário, viabilizando a evacuação seguros da edificação.

Tudo isso faz, da compartimentação, um trabalho essencial em determinados ambientes, como em hospitais, por exemplo, onde o número de ocupantes que não podem se locomover é muito grande. Só a compartimentação consegue oferecer condições para que todos sejam retirados do prédio, a tempo.

 

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *